03 de dezembro: Ato contra o uso de agrotóxicos em Cuiabá

Por: Mel Mendes/Formad
Organizações protocolaram carta de reivindicações nas secretarias de estado e promoveram mobilização em frente ao shopping Pantanal.

IMG_1474.JPG

O dia 03 de dezembro, dia internacional de luta contra os agrotóxicos, foi marcado por atos e mobilizações em todo o país. Milhares de pessoas foram às ruas, feiras e universidades para denunciar os danos causados à população e ao ambiente pelo uso desses venenos e exigir medidas urgentes para evitar que mais contaminações aconteçam.

Em Cuiabá (MT), o Comitê Estadual da Campanha Permanente de Combate aos Agrotóxicos e Pela Vida, e outras pessoas e grupos que se identificam com a causa, realizaram uma mobilização com panfletagem, faixas, palavras de ordem, música e muita alegria para sensibilizar a população dos riscos desse modelo de produção agrícola. O ato aconteceu em uma das avenidas mais movimentadas da cidade, a Avenida Historiador Rubens de Mendonça, em frente ao shopping Pantanal, e contou com a participação de, aproximadamente, 40 pessoas.

Mesmo com chuva, os animados manifestantes se mantiveram firmes e chamaram a atenção de quem passava pelo local. Jovens usavam o megafone para entoar palavras de ordem e cantar paródias sobre a agroecologia e combate ao agronegócio. Um dos membros da mobilização se vestiu de pulverizador e borrifava os carros, fazendo analogia ao veneno que as pessoas são expostas diariamente sem se darem conta.

O Comitê Estadual lançou também uma carta política onde denuncia o uso de agrotóxicos no estado de Mato Grosso, a contaminação das pessoas, ambiental e ocupacional por esses venenos e o desrespeito à legislação que regulamenta a pulverização desses produtos. Além disso, a carta elenca uma série de medidas urgentes reivindicadas pelas organizações para a garantia de uma vida e ambiente saudável e livre de contaminações.

Uma comissão protocolou a carta (clique aqui) na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA/MT), no Instituto de Defesa Agropecuária (INDEA), na Secretaria de Saúde (SES/MT) e na Secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (SEDRAF/MT). O Formad compõe o comitê estadual e também esteve na comissão que protocolou o documento.

 Veja mais fotos do ato clicando aqui

Conteúdo relacionado

Ações do estado de MT contra territórios tradicionais são derrubadas no STF. Quilombolas e indígenas manifestam-se em Brasília e em Cuiabá.
A parte que nos cabe neste latifúndio
ActionAid e FASE lançam estudo sobre avanço da rota de exportação para a China no Tapajós
MAIS UMA CHACINA ANUNCIADA EM MATO GROSSO
As diferentes facetas do retrato da violência no campo em Mato Grosso
Modelo de regularização fundiária não inclui pequeno produtor, diz fórum
V Mostra socioambiental do Araguaia "Nós somos terra"
Indígenas da Bacia do Teles Pires se mobilizam, em Brasília, por seus direitos frente a empreendimentos hidrelétricos
Formad recomenda modelos de regularização ambiental adaptados à realidade da agricultura familiar e de povos e comunidades tradicionais.
Dois casos sérios de agrocombustiveis
MULHER: SEMENTE DE VIDA E RESISTÊNCIA
Organizações lançam propostas socioambientais para a agenda política de Mato Grosso
Organizações lançam estudos sobre as atuais ameaças ao bioma Pantanal
Dia 3 de dezembro: Mato Grosso vai às ruas exigir o fim do uso de agrotóxicos!
Usina Teles Pires: Justiça ordena parar e governo federal libera operação, com base em suspensão de segurança
Organizações lançam nota em apoio à operação "Terra Prometida" em Mato Grosso
Dossiê Abrasco: o grito contra o silêncio opressivo do agronegócio.
Encíclica papal aborda desigualdades na agricultura
Dossiê sobre agrotóxicos será lançado em Cuiabá e Rondonópolis
Pantanal por inteiro, não pela metade