Lançamento do estudo "A geopolítica de infraestrutura da China na América do Sul: um estudo a partir do caso do Tapajós na Amazônia brasileira"

ActionAid e FASE lançam estudo sobre avanço da rota de exportação para a China no Tapajós

Por: ActionAid/Fase
De Rio Janeiro
Fonte: ActionAid/Fase

Geopol_Fase.JPG

As organizações ActionAid e FASE lançam na sexta-feira, dia 01 de dezembro, o relatório “A geopolítica de infraestrutura da China na América do Sul: um estudo a partir do caso do Tapajós na Amazônia brasileira”. O documento mostra o avanço, sobre a região, da rota de exportação do agronegócio em direção ao país asiático, e chama atenção para seus impactos socioambientais. O evento de lançamento acontece a partir das 18h30 no Centro Cultural/UFMT, em Cuiabá, e será marcado por um debate.

Participarão da mesa Diana Aguiar, do Grupo Nacional de Assessoria (GNA) da FASE e autora do documento, Gerardo Cerdas Vega, analista de Políticas e Programas da ActionAid no Brasil e coordenador editorial do estudo, e Sara Pereira, educadora do programa da FASE na Amazônia, ativista e residente em Santarém, cidade que sofre intensamente os efeitos da expansão dos projetos de infraestrutura sobre o Tapajós.

“Os investimentos no megacorredor de comércio respondem à convergência de interesses de ruralistas do Brasil Central, das grandes tradings que exploram o comércio de commodities agrícolas globalmente, e da demanda chinesa por soja, sobretudo para ração animal, em razão do consumo crescente de carne naquele país. Os programas e planos governamentais têm historicamente se alinhado a esses interesses, passando por cima de uma pergunta-chave: desenvolvimento para quê e para quem?”, diz Diana.

O estudo reúne mapas, dados e análises dos principais investimentos na região, relatos sobre seus desdobramentos sociais e ambientais e sua conexão com o panorama mais amplo do investimento em infraestrutura logística no Brasil. O resultado é um retrato completo das consequências, para os povos do Tapajós, da “relevância” que a China assumiu para a economia brasileira.

“Para a ActionAid, entender as dinâmicas de expansão territorial na Amazônia brasileira é central para entender as formas como a pobreza é reproduzida em escala cada vez maior pelas mesmas forças que geram uma gigantesca acumulação de riqueza, que em nada beneficia os povos tradicionais que sofrem com a implantação de grandes obras de infraestrutura para escoamento de soja e outras commodities”, explica Gerardo.

A publicação é fruto de uma parceria institucional entre ActionAid e FASE, com apoio da Mott Foundation, e tem distribuição gratuita.


Lançamento do estudo “A geopolítica de infraestrutura da China na América do Sul: um estudo a partir do caso do Tapajós na Amazônia brasileira”

QUANDO? 01 DE DEZEMBRO ÀS 18H

ONDE? CENTRO CULTURAL UFMT