Condessa e Pólos se articulam para executar o Projeto da BR 163

Fortalecer as organizações da Sociedade Civil ao longo da BR 163 e iniciar a execução do Projeto da BR 163 foram os principais motivos da reunião, coordenada pelo GTA, ocorrida dias 5 e 6 de novembro, em Brasília. Durante os dois dias as entidades do Condessa debateram as ações a serem executadas.
 

O projeto, iniciado em 2006, com o apoio do Banco Mundial, tem a sua continuidade, nessa segunda etapa, assegurada com recursos da União Européia, repassados através da FAO. A coordenação do trabalho será do GTA e a execução ficará sob responsabilidade do Consórcio pelo Desenvolvimento Socioambiental da BR 163 – Condessa, integrado por 32 entidades do Mato Grosso e oeste paraense, ao longo da rodovia BR 163 (Santarém – Cuiabá).
 

Para a realização das atividades a região foi dividida em cinco Pólos, coordenado pelas respectivas entidades: Norte MT – STTR LRV, Itaituba – FMS BR 163, Cuiabá e adjacências – OPAN, Baixo Amazonas – CEFT BAM  e Transamazônica e Xingu – FVPP. Estiveram presentes ainda na reunião representantes das entidades da coordenação do Condessa, do Ministério do Meio Ambiente – MMA e da FAO.
 

O representante da FAO, Marcelo Broggio reconheceu as dificuldades para finalizar o projeto, assinado em 1 de outubro. Considerou que “é preciso buscar uma sinergia com os demais projetos da BR 163”. Venilson Silva, representante do CEFT BAM, falou da importancia da reunião, especialmente diante do aumento das obrigações das entidades para a execução do projeto, “o que não desanimará a realização das atividades importantes para o fortalecimento dos movimentos”.
 

Durante a reunião foram definidos os prazos e as responsabilidades para o encaminhamento das ações do projeto, tais como o pessoal responsável e a elaboração de documentos necessários para o inicio imediato das atividades do primeiro ano do projeto.

 
Uma das atividades definidas foi a participação nas reuniões do Fórum da BR 163, organizado pela Casa Civil da Presidência da República. Para esclarecer as dificuldades existentes quanto a essa demanda, apesar do discurso oficial afirmar o contrário, foi convidado à reunião Johaness Eck, representante da Casa Civil, que reconheceu esses problemas. Defendeu uma aproximação do projeto com o Território da Cidadania. “É possível integrar e articular”. Comprometeu-se em encaminhar as demandas apresentadas pelas entidades para assegurar a efetiva participação nas próximas reuniões do Fórum, especialmente nos dias 12 e 13 de novembro, em Itaituba (PA).
 

Participaram da reunião Pedro Bruzzi Lion, Nazaré Soares e Vandré Monteiro – MMA, Marcello Broggio e Ednardo Machado – FAO, Adriana Ramos – ISA, André Alves – FORMAD/GTA-MT, Epifânia Vuaden e Nilfo Wandscheer – STR Lucas do Rio Verde/MT, Irineu Mathes – Fórum dos Movimentos Sociais da BR 163, Ivaide Santos – FVPP/Itaituba/PA, João Andrade – ICV/FORMAD/MT, Manuel Imbiriba – FETAGRI/PA, Marcelo Moreira – OPAN, Marilene Machado e Venilson Soiva – CEFT BAM/PA, Rosana Costa – IPAM . Pelo GTA Nacional participaram Beto Cantanhede, Muriel Saragoussi, Beatriz Saantos e. Enilde Jacobina. Mara Régia, radialista da EBC, participou de parte das atividades.

Compartilhar Notícia

Últimas Notícias