Fórum de Lutas convoca reunião para organizar Romaria dos Trabalhadores

Assessoria  Centro Burnier Fé e Justiça – A Romaria dos Trabalhadores, realizada há duas décadas em todo o Brasil por movimentos sociais e comunidades de base para marcar o Dia do Trabalhador (1º de maio), este ano, em Cuiabá, provavelmente vai migrar para a região do Coxipó.

Este é o assunto principal da segunda reunião em 2010 do Fórum Permanente de Lutas. A reunião foi convocada para amanhã, quarta-feira, 24 de fevereiro, às 18h30, na Paróquia do Rosário.

O Fórum Permanente de Lutas existe desde 2005, quando aconteceu em Brasília a primeira Assembléia Popular (AP), com a participação de mais de 8 mil pessoas.. A AP é um fórum brasileiro criado com o objetivo de construir um processo político de democracia direta e ser também um espaço de aglutinação e fortalecimento nos movimentos sociais, entendendo que cada cidadão e cada cidadã deve ter voz e voto nos rumos do país. A segunda Assembléia Popular será realizada este ano, de 25 a 28 de maio, também em Brasília. O tema da primeira foi a Dívida Externa. Desta vez, o tema será Nenhum Direito a Menos.

Além da Assembléia Popular e da Romaria dos Trabalhadores, o Fórum Permanente de Lutas organiza ainda o Grito dos Excluídos, marcha paralela à militar realizada dia 7 de setembro, dia da suposta independência do Brasil. Independência formal, mas não política. O Grito dos Excluídos discute a soberania nacional e a construção de um projeto popular de nação.

O tema dos três eventos populares este ano vão focar na questão dos direitos.

1-      Nenhum direito a menos.

2-      Trabalhar na perspectivas de que se nossos direitos foram afirmados no papel mas muitos não são realidade. Lutar para que sejam efetivados!

3-      Lutar pelos direitos que não foram contemplados na Constituição de 1988 e pelos novos direitos que estão surgindo de acordo com as conjunturas.

Os principais eixos propostos dentro do tema central são: direitos ambientais, direitos políticos, direitos sociais, direitos civis, direitos econômicos e direitos culturais.

Para a reunião de amanhã, estão convocadas todas as entidades signatárias do Fórum em MT, como as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), a Pastoral do Migrante e da Terra, o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), a Central Única dos Trabalhadores (CUT),  o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MT) e muitas outras.

Compartilhar Notícia

Últimas Notícias