Inácio Werner é premiado por luta em favor de direitos

Inácio WernerPor Keka Werneck, da Assessoria de Imprensa do Centro Burnier Fé e Justiça

O sociólogo do Centro Burnier Fé e Justiça (CBFJ), Inácio Werner, coordenador do Programa de Intervenção Social do Centro e do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Foete), foi um dos agraciados este ano pelo Prêmio Estadual de Direitos Humanos Padre José Ten Cate, concedido pela gestão do deputado estadual Ságuas Moraes (PT) aos expoentes na luta pela vida e pela dignidade humana. Werner recebeu a menção honrosa em reconhecimento da sua “árdua militância”, na noite de quinta-feira, dia 9 de dezembro, ao lado de outras lideranças de movimentos sociais e trabalhos transformadores.

Na tribuna da Assembléia Legislativa de Mato Grosso, com transmissão ao vivo pela TV Assembléia, Inácio Werner, que é especialista em Movimentos Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), disse: “Esta noite, que antecede o dia 10 de dezembro – dia internacional dos Direitos Humanos – é importante lembrar o desafio que é atuar por essa causa. Sempre somos vistos como pessoas ou grupos que querem se meter em algo que deveria ficar em silêncio. Mas é importante garantir direitos àquelas pessoas que moram lá longe, a todos e todas. Essa deve ser uma luta permanente pela garantia dos direitos conquistados; devemos trazer para o dia a dia os direitos que estão no papel. Além disso, o grande desafio é ampliar esses direitos. Para isso, é preciso que a sociedade se organize, porque é injusta como está. A luta deve ser incansável até que cada um e cada uma de nós possamos dizer: eu estou vivendo com dignidade! Sem nos esquecermos de que para isso precisamos também preservar nosso planeta”.

Inácio representa o Centro Burnier no Fórum Mato-grossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Formad).

Ele nasceu em Itapiranga (SC) e chegou a Cuiabá em 1982. Foi agente de Pastoral da Paróquia do Rosário e da Comissão Pastoral da Terra (CPT). É um dos fundadores do Centro de Direitos Humanos Henrique Trindade e um dos articuladores para a realização do Grito dos Excluídos e da Romaria dos Trabalhadores. Participa da Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (COETRAE) e do Conselho Gestor do Fundo de Erradicação do Trabalho Escravo (CEGEFETE).

O júri reconheceu que Inácio Werner “tem contribuído para a defesa da vida” e também para assegurar “dignidade aos povos marginalizados”. Além “animar permanentemente os movimentos e organizações sociais de Mato Grosso”.

O deputado Ságuas Moraes explicou que, com este prêmio, buscou homenagear o amigo Ten Cate, que faleceu em 2002 de esclerose lateral múltipla. “Era pessoa imprescindível, que nunca pretendeu a vida palaciana e o poder. Nas comunidades que estavam seus amigos. Ele sonhava com um mundo em que todas as pessoas se alimentassem e não sofressem qualquer discriminação”. Conforme o deputado, a premiação serve também para estimular as lideranças sociais.

Conheça os vencedores aqui.

Foi homenageada na categoria personalidade in memorian a irmã Dineva Vanuzzi, professora da UFMT, pela incansável luta popular.

Na categoria Personalidade 2010, recebeu a honraria o cacique Xavante Damião da Terra indígena Marãiwatséde, na região de São Félix do Araguaia. Ele é “a principal referência de luta pelo retorno do seu povo para terra tradicional”. Um sobrinho recebeu o prêmio em nome dele e disse, na tribuna da Assembléia, que desde a ECO 92 começou uma luta mais organizada pela retomada das terras indígenas no Brasil. “Você não vê índio tomando terra de branco, vê?”- perguntou o xavante. “Para garantir nossas terras, meu tio vive uma vida de ameaças, mas não teve medo do desafio”.

Na categoria Organizações Sociais, recebeu o prêmio a Associação Bioenergética de Mato Grosso (Biosaúde). O padre Jesuíta Renato Barth agradeceu o reconhecimento e disse que a rede à qual está ligado já atendeu 3 milhões de pessoas em 17 anos de atuação na América Latina. Ele destacou também o trabalho feito na África, um continente “condenado à morte”. Barth lembrou que está processado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM), mas vai continuar sua luta para que as pessoas tenham saúde e contra aqueles que vivem da doença humana.

Na categoria Ações e Experiências recebeu o prêmio o Projeto “Ativo das Mulheres”, da Rede Mulher de Educação (RME / NUEPOM). A educadora Maria Aparecida Cotti Silva recebeu o troféu, que se estende, simbolicamente, a todas as mulheres que lutam contra a violência e pelo protagonismo feminino.

Compartilhar Notícia

Últimas Notícias