Associação Indígena firma parceria com banco para potencializar a comercialização de biojóias

Assessoria – Após uma série de entendimentos entre lideranças e representantes do povo indígena Rikbaktsa, Fundação Nacional do Índio – Funai e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD, acontece entre os dias 15 e 18 de setembro um intercâmbio de experiências entre executivos do banco HSBC e a comunidade indígena Rikbaktsa, onde uma parceria inédita começa a ser firmada. O evento acontece na aldeia Barranco Vermelho, em Brasnorte – MT. O banco HSBC e o programa LEAD, através do Programa de Formação de Lideranças para o Ambiente e o Desenvolvimento, irão apoiar a construção de um site de comercialização do artesanato indígena, que poderá potencializar a geração de renda com a manutenção da floresta em pé a partir das biojóias.

O povo Rikbaktsa vem se destacando na proteção da biodiversidade da Amazônia, sendo reconhecido, inclusive, com o Prêmio Chico Mendes, do Ministério do Meio Ambiente – MMA. Os executivos conheceram o sistema de produção de Jóias da Floresta, além dos trabalhos com produção de látex de seringa, enriquecimento de roças de toco e com a castanha-do-Brasil e a produção do artesanato. Esta última atividade foi escolhida como ponto focal por vários motivos.

Entre eles está o fato de ser uma atividade econômica baseada na tradição do povo indígena e ter a participação efetiva de toda comunidade. Outro fator que pesou na decisão é o fato de o protagonismo da atividade ser predominantemente feminina. De acordo com Plácido Costa, coordenador do componente de Gestão Ambiental em Terras Indígenas do Projeto de Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade das Florestas do Noroeste de Mato Grosso, executado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA – MT e PNUD, "O desenvolvimento esta ação é uma antiga reivindicação dos grupos de mulheres Rikbaktsa. Desta forma estamos realizando articulações com a FUNAI, através de sua coordenação geral de artesanato indígena e aglutinando novos parceiros que estejam dispostos a juntamente com o povo Rikbaktsa, construir novas alternativas de geração de renda e manutenção da floresta em pé” declarou.

Além desta parceria com o banco, estão em planejamento outros intercâmbios de grupos de mulheres Rikbaktsa, Zoró e Arara ao Estado do Acre para o conhecimento de outras experiências, com apoio de consultores. No encontro que acontece esta semana será discutida a possibilidade da realização de uma parceria com um agente de mercado para a comercialização destas Jóias da Floresta.

O programa LEAD e o banco HSBC firmaram o compromisso com o povo na criação da marca Povos da Floresta, que possa associar o compromisso do povo Rikbaktsa com a manutenção da floresta em pé com a atividade de elaboração destas jóias. O passo seguinte será a criação de um site e-comerce, associando a atividade da confecção das jóias da floresta com os serviços ambientais que estes povos proporcionam ao planeta. Já está definido que a estrutura do site permitirá que no futuro outros produtos e povos possam se integrar neste espaço virtual, como é o caso do povo Zoró e Arara, parceiros no desenvolvimento das ações de uso sustentável das Florestas do Noroeste da Amazônia matogrossense.

Para que tudo isso possa acontecer, os novos parceiros do povo Rikbaktsa irão viabilizar as condições necessárias para que a Associação do Povo Indígena Rikbaktsa – ASIRIK possa fazer a gestão deste negócio da floresta. Um conjunto de antenas e placas solares serão disponibilizados para que os Rikbaktsa possam se conectar a internet para fazer a gestão do site e de outros negócios que já estão em andamento, como a produção da castanha-do-Brasil e a extração do látex e outros produtos que possam ser gerados no futuro.

Luta pela sustentabilidade

O combate à exploração ilegal de madeira e de minérios em suas terras e a busca de sustentabilidade econômica, por meio do uso racional dos recursos naturais, constituem as frentes de atuação do povo indígena Rikbaktsa, no noroeste do estado de Mato Grosso. São 1.500 pessoas que vivem numa área de 401 mil hectares no Complexo de Terras Indígenas Erikptasa, Japuíra e Escondido.

A Associação do Povo Indígena Rikbaktsa desempenha importante papel, principalmente como mediadora na articulação de projetos e na busca de parcerias para a implementação de atividades produtivas, principalmente o manejo e a comercialização da castanha-do-Brasil, que vem se tornando referência na região.

Programa LEAD

O Programa de Formação de Lideranças para o Ambiente e o Desenvolvimento – LEAD é um programa internacional e apoiado por vários parceiros. No Brasil, a Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças – ABDL é a gestora deste programa, que visa forma líderes para a ação.

Por este programa os futuros lideres do Grupo HSBC estão sendo formados por meio de aplicações práticas de aprendizado em casos socioambientais com a obtenção de resultados reais, pautados pelos seguintes temas: liderança, responsabilidade corporativa, diversidade cultural, networking e práticas objetivas de negócios.

Este programa tem por objetivo formar os futuros lideres do Grupo HSBC por meio de aplicações práticas de aprendizado em casos socioambientais com a obtenção de resultados reais, pautados pelos seguintes temas: liderança, responsabilidade corporativa, diversidade cultural, networking e práticas objetivas de negócios.

Compartilhar Notícia

Últimas Notícias