Tecnologias Sociais serão apresentadas na VII Expo Brasil

Agência Sebrae de Notícias – Iniciativas de baixo custo e que representam soluções para transformação social e desenvolvimento local serão apresentadas em mostra durante a VII Expo Brasil, que será realizada em Cuiabá (MT), de 12 a 14 de novembro. No evento, serão expostas Tecnologias Sociais que envolvem áreas de agroecologia, reciclagem, bioenergia, incubação de empreendimentos solidários e captação de água de chuva para a produção de alimentos.

A secretária-executiva da Rede de Tecnologia Social (RTS), Larissa Barros, destaca que a mostra foi organizada para dar aos visitantes uma compreensão ampla das Tecnologias Sociais que podem ser adequadas e reaplicadas em diferentes realidades do Brasil. “Mostraremos tecnologias de reciclagem, de aproveitamento de água e aquelas inseridas em processos produtivos. Haverá também métodos de construção sustentável, saneamento básico e educação. Essas tecnologias dialogam com os diversos biomas e realidades do país, além de respeitarem questões de sustentabilidade”, explica.

Os visitantes da Expo Brasil poderão conhecer 11 Tecnologias Sociais. Entre elas, há técnicas de aproveitamento total do coco babaçu, de captação de água da chuva para consumo e produção e de sanitário compostável, além da Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais), do fogão ecoeficiente e do programa H2Sol, um microssistema produtivo de irrigação com uso de energia renovável. “Nosso desafio durante a mostra será sensibilizar as pessoas para que elas saibam que as técnicas existem, são acessíveis, simples e baratas”, destaca Larissa.

O gerente da Unidade de Agronegócios do Sebrae Nacional, Juarez de Paula, ressalta que a difusão de Tecnologias Sociais é fundamental. “Além do baixo custo, são técnicas que têm fácil reaplicação e contribuem na promoção da inclusão social e melhoria da qualidade de vida”, afirma.

A prioridade da RTS está na difusão de Tecnologias Sociais geradoras de trabalho e renda. Larissa explica que, para atingir esse objetivo, a técnica deve ser pensada desde o começo como poupadora de recursos e rica em espaços para a inserção de mão-de-obra, valorizando as pessoas. “Com essas características, as tecnologias se tornam instrumentos do desenvolvimento local e são adequadas para ser usadas por empreendimentos que se preocupam com a produção de negócios sustentáveis”, ressalta.

Apoio

Para apoiar a difusão de Tecnologias Sociais de interesse de micro e pequenos empreendimentos e de produtores rurais, o Sebrae lançou neste ano uma chamada pública. Ao todo, 140 projetos de diversas entidades do país foram selecionados.

A maior parte das propostas solicitou apoio para cultivos agroecológicos. Além disso, foi verificada a preocupação das instituições com a preservação ambiental e aproveitamento das potencialidades locais, o que contribui para elevar o capital social e econômico dos territórios.

Larissa destaca que esse apoio do Sebrae, que é uma das instituições mantenedoras da RTS, é muito importante para a difusão das Tecnologias Sociais. “Com essa chamada, conhecemos algumas iniciativas que ainda não tinham sido identificadas pela Rede”, diz. Neste mês, as entidades selecionadas pela chamada estão sendo convidadas a apresentar documentos e assinar convênio com o Sebrae nos estados.

Compartilhar Notícia

Últimas Notícias